Resenha - The Kiss of Deception

Título: The Kiss of Deception
Autora: Mary. E. Pearson
Editora: Darkside
Páginas: 406


Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro? 





Resenha:

Arabella Celestine Idris Jezelia, ou simplesmente Lia como ela prefere ser chamada, é a protagonista desse romance intenso escrito com maestria por Mary E. Pearson.
Em Morrighan, reino imerso em tradições, Lia é a Primeira Filha da Casa Real e, como tal, é obrigada a cumprir alguns deveres. Um deles é um casamento arranjado com o príncipe de Dalbreck, para selar a paz entre os dois reinos.
No entanto, nossa protagonista não está disposta a casar-se com um homem que não conhece. Lia não é muito afeita a tradições, e logo percebemos que ela não é o tipo de princesa que abaixa a cabeça para as ordens do pai.

“Eu tinha pouca paciência para essas bobagens. Gostava das minhas palavras e do meu raciocínio simples e direto. E estava tão cansada de ouvir sobre a tradição que tinha certeza de que, se essa palavra fosse pronunciada em voz alta mais uma vez, minha cabeça explodiria.”

Então, logo no primeiro capítulo, Lia foge com sua melhor amiga, Pauline, para Terravin, terra natal de Pauline.
No seu encalço, estão o príncipe que seria seu marido e que decide ir atrás de Lia para entender as razões pelas quais ela decidiu fugir (coisa que ele próprio também queria fazer, mas não teve coragem), e também um assassino enviado por Venda, um reino que se aproveita da quebra do acordo entre Morrighan e Dalbrecke quer tirar a princesa de cena, acirrando ainda mais a guerra.
Os primeiros capítulos de The Kiss of Deception são um pouco arrastados. Narrado em primeira pessoa por Lia, somos jogados na situação em que ela se encontra sem ainda não ter simpatia ou entender muito bem a personagem principal, seu reino e as pessoas ao seu redor. A jornada de Lia e Pauline até Terravin é, muitas vezes, maçante, mas serve para nos mostrar o laço entre elas, que é um ponto importante da história. Além disso, vamos entendendo um pouco o motivo pelo qual Lia renunciou ao casamento. Não era apenas um simples ato de rebeldia e despeito às regras, mas sim uma necessidade profunda de vivenciar um amor de verdade.

“Eu me perguntava como seria ter alguém que me conhecesse tão bem, alguém que olharia direto na minha alma, alguém cujo próprio toque eliminaria todos os meus outros pensamentos. Tentei imaginar alguém que ansiasse pelas mesmas coisas que eu e que quisesse passar o resto da vida comigo, e não porque isso estava em conformidade com um contrato sem amor escrito em um papel.”

Continuei a leitura esperando algo grande, e não me arrependi.
Lia chega a Terravin e conhece Berdi e Gwyneth. Berdi é dona da taverna onde Lia passa a trabalhar ao lado de Pauline e Gwyneth. Logo vemos essa aliança feminina se formando, com suas histórias e confissões, e passamos a gostar de cada uma delas, ainda que Gwyneth tenha lá seus mistérios.
O livro dá uma guinada incrível a partir do momento em que Rafe e Kaden aparecem na taberna, ambos mostrando interesse incomum em Lia. Um deles é o assassino e outro é o príncipe, mas passamos boa parte da narrativa sem saber quem é quem, e isso traz um ‘algo mais’ à trama. A partir daqui, temos pequenos capítulos sob o ponto de vista do assassino e do príncipe, sem nunca saber qual deles é Rafe ou Kaden.
Acompanhamos o cotidiano de Lia em Terravin e, inevitavelmente, vamos nos apegando à ela, conhecendo mais de sua personalidade, entendemos seus pensamentos e descobrimos o quão forte e cativante ela é. Lia não é uma protagonista bobinha que não sabe o que quer, ao contrário. Ela é decidida, tem a língua afiada e sabe se impor. Aos poucos, enquanto adentramos seu cotidiano, acompanhamos também a crescente relação entre ele e os dois rapazes.
Nesse ponto, vale ressaltar que Mary. E. Pearson soube conduzir a história muito bem, sem nenhuma dose de romantismo exagerado, mantendo tudo muito bem equilibrado. Temos pequenos momentos aqui e ali, de Lia com Rafe ou de Lia com Kaden, mantendo esse triângulo amoroso envolto em mistério. Mas acho que a autora pendeu mais para o lado de um deles, o que fica evidente durante a narrativa. Mas o legal é que isso não exclui o outro rapaz da jogada, quando entendemos mais de seu universo.
Outra coisa que gostei bastante é que a força feminina no livro é impressionante. Desde a maturidade de Berdi e a sedução misteriosa Gwyneth passando pela delicadeza de Pauline e a força interior de Lia, indo até o destaque que as Primeiras Filhas têm no reino, é o feminino que domina a narrativa. Ainda que a força masculina apareça, seja na forma dos bárbaros, das tropas, dos homens que sabem lutar, as mulheres é que dão o tom do romance, principalmente Lia, claro.
Uma dica para que o leitor adentre mais esse universo é ficar atento às citações que antecedem alguns capítulos, que inicialmente parecem não fazer sentido, mas se revelam importantes para a sequencia da história.
Mary E. Pearson criou uma história bela e consistente em cima de um argumento que poderia ser considerado bobo (uma princesa que decide fugir porque quer viver um amor verdadeiro), poderia facilmente cair em um clichê e não ser nem um pouco marcante. Mas a autora soube nos entregar uma protagonista destemida e um universo particular, recheado de histórias antigas, tradições e características próprias, nos deixando curiosos para aprender mais sobre o dom das Primeiras Filhas, o misterioso kavah de casamento de Lia e sobre Venda, coisas que ainda não ficaram tão claras nesse primeiro volume, mas que devem ser melhor desenvolvidas nos dois volumes subsequentes.
Enfim, posso dizer que The Kiss of Deception foi, sem sombra de dúvidas, uma de minhas melhores leituras do ano. Tudo nesse livro é belo, desde a história até a edição maravilhosa da Darkside. Livro indispensável pra quem gosta de literatura fantástica e romance Young Adult.

8 comentários:

  1. Olá!
    Essa resenha só me deu mais vontade de ler o livro! Adorei essa força feminina que aparece no livro. Louca para ler! Só estou esperando a Black Friday, hahah <3
    O que falar dessa edição da Dark Side? Sensacional!

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Omg, leia, esse livro é maravilhoso.
      Aproveita que hoje é Black Friday e está tudo em promoção, haha.
      Beijos.

      Excluir
  2. Oi oi querida,
    Adorei a resenha. Amei esse livro e a nossa leitura coletiva ajudou bastante, se não fosse por vcs eu não leria :)

    O que eu mais gostei foi no livro foi as personagens independentes ♥

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Alice :)
      Nossa leitura conjunta foi ótima, precisamos fazer mais vezes, haha. Foi ótimo poder trocar ideias com vocês.
      Amei as personagens fortes e independentes também, um dos pontos altos desse livro.
      Beijos.

      Excluir
  3. Olá! comprei esse livro numa promoção no submarino mas ainda não li, vejo muitos comentários positivos e lendo sua resenha agora eu to me perguntando porque eu enrolei tanto pra ler! to perdendo uma historia maravilhosaaa, esse livro ja me conquistou pela edição que é fantastica( o primeiro livro de capa dura da minha estante, meu xodó agora kkkk) e o poster também é lindo <3 Espero que eu goste da leitura tanto quanto você!
    http://agridoceleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é maravilhoso, eu li assim que comprei!
      Sério, se você gosta de fantasia e romance, não vai se arrepender, esse livro é maravilhoso!
      Beijos

      Excluir
  4. Monique sua resenha está incrível. Essa também foi uma das minhas melhores leituras do ano! Agora vou rumo a leitura do The Heart of Betrayal! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. The Heart of Betrayal consegue ser ainda mais maravilhoso, May, acredite!
      Espero que você goste bastante da leitura <3

      Excluir