Follow Us @leituravoraz

19/09/2017

Projeto Leitura Fantástica

02:41 3 Comments


Hoje, vim falar de um projeto bem especial para vocês!

O projeto se destina a ler livros do gênero ficção, principalmente fantasia, mas incluindo também Sci-Fi, distopia e afins. O objetivo é que possa haver interação entre os leitores que apreciam tal gênero literário, de forma a promover discussões e estreitar laços dentro da comunidade leitora.
O projeto funcionará da seguinte maneira:
• As administradoras escolherão cinco livros dentro do tema previamente definido e uma votação no facebook será realizada para escolher o livro do mês;
• Se alguém já tiver lido o livro escolhido, pode optar por reler ou por apenas participar da discussão;
• A discussão do livro do mês terá início todo dia 30, podendo se estender até 3 dias e será livre para spoilers;
• Spoiler antes da discussão final será permitido somente em áudio e deverá ser avisado com antecedência no áudio.
• O período da discussão final será sinalizado com um emoji;
• Se você não conseguir cumprir o prazo de leitura, não tem problema, o projeto tem o intuito de ser divertido e não um peso na consciência.
_
IMPORTANTE: A ideia desse grupo é ser grande, para cada vez mais alcançarmos pessoas com os gêneros que mais amamos. É difícil agradar todo mundo, por isso o grupo será maleável e cada um é livre para participar da leitura conjunta que quiser. Se houver algum mês que você esteja sem tempo ou o tema/livro definido não te atrai, você pode esperar pelo próximo mês sem nenhum problema. Apenas não nos abandone

-
Temos um grupo no Whatsapp e no Facebook. Quem estiver interessado, pode falar aqui nos comentários, deixe seu número de Whatsapp ou fale comigo através do Instagram @leituravoraz que entrarei em contato.

-
Leituras:

Setembro / Infanto Juvenil - Sete Minutos Depois da Meia Noite (Patrick Ness)
Outubro / Terror/Horror - Frankenstein (Mary Shelley
Novembro / Ficção Científica - A definir

16/09/2017

[Resenha] O Livro do Juízo Final

10:03 0 Comments
Livro: O Livro do Juízo Final
Autora: Connie Willis
Editora: Suma
Páginas: 576
🌟🌟🌟🌟🌟
Sinopse: "Em meados do século XXI, a jovem estudante Kivrin Engle se prepara para viajar no tempo. Ela pretende fazer um estudo de campo sobre uma das épocas mais sombrias da história da humanidade: a Idade Média. Em um primeiro momento, tudo parece ter corrido bem com a empreitada, e ela finalmente está no século XIV. O que Kivrin não sabe é que o técnico responsável pelo seu salto temporal, de volta para 2054, está terrivelmente doente. Seu retorno pode estar comprometido, e isso pode afetar todos os habitantes do Reino Unido. De 1300 a 2050, Connie Willis faz um trabalho magnífico na construção de personagens complexos, densos e pelos quais é impossível não sentir empatia. O livro do juízo final é ao mesmo tempo uma incrível reconstrução histórica e uma aula sobre o poder da amizade."



RESENHA:

No ano de 2054, a viagem no tempo já é uma realidade. A realização de saltos temporais é feita, principalmente, pelos historiadores que querem pesquisar e vivenciar melhor determinado período da história. As Grandes Guerras? A construção de algum grande monumento? É possível voltar para lá. Desde que o historiador esteja no local e horário designado para o retorno, ou ele ficará perdido no passado.

Kivrin, uma jovem historiadora, deseja voltar para a Idade Média e explorar essa época. Um de seus professores, o Sr. Dunworthy, é contra essa ideia. Além de ser um período perigoso por si só, a Idade Média pode ser ainda mais difícil para as mulheres. Mas Kivrin é obstinada em sua preparação. Aprende inglês médio, aprende a bordar, ordenhar e etc. Mesmo com Dunworthy contra, as coisas avançam rapidamente para que Kivrin realize seu salto, em meio a desavenças institucionais e a insegurança de Dunworthy.

A partir daí, os capítulos alternam entre Kivrin, no passado, e Dunworty, em 2054. Mesmo em períodos diferentes, algo semelhante acontece: Kivrin e Badri (técnico que operou o salto de Kivrin) caem doentes, cada qual em sua época. Antes de desmaiar, Badri diz a Dunworthy que algo deu errado no salto de Kivrin. Então, surge uma corrida contra o tempo para saber o que realmente está acontecendo com Badri. Kivrin pode ter sido exposta ao vírus antes do salto, mesmo tendo tomado todas as vacinas.
No passado, Kirin sabe que tem que marcar o local do salto, mas sente-se tão mal, com dores de cabeça e febre, que não consegue se concentrar e desmaia. Quando acorda, está em uma casa sendo cuidada por uma família.

Kivrin também precisa correr contra o tempo para descobrir exatamente onde é o local do salto para poder voltar ao presente no dia marcado, mas parece que tudo conspira contra. E, assim, ela vai tentando se adaptar à sua rotina como ama, enquanto tenta descobrir com Gawyn o local onde ele a achou desmaiada.

"Ela está a setecentos anos de casa, pensou Dunworthy, num século que desdenhava das mulheres a ponto de nem anotar seus nomes quando morriam."



Kivrin narra toda a sua história através de um gravador colocado em um osso de seu pulso, de forma que ela une as mãos fingindo rezar, quando na verdade, está usando o gravador. Lady Eliwys espera ansiosamente pelo marido, que está em outro vilarejo para um julgamento. Lady Imeyne, sogra de Eliwys, parece não ter nada melhor pra fazer além de imlicar com qualquer um, principalmente o Padre Roche. Agnes e Rosemund são as duas filhas de Eliwys, duas meninas cativantes que trouxeram uma certa leveza em alguns momentos, principalmente a pequena Agnes.

Enquanto isso, Dunworthy tenta descobrir o que exatamente deu errado no salto de Kivrin e como vão conseguir trazê-la de volta, mas Badri está incapaz de fornecer qualquer informação. Em meio a suas preocupações, Dunworthy ainda precisa lidar com sineiras, com Finch (que parece não conseguir fazer nada sem seu conselho), e com o pequeno e intrometido Colin, sobrinho de sua amiga Mary, que veio passar o natal com ela.

Connie Willies poderia facilmente se perder em meio a tantas informações e personagens, mas isso não acontece, felizmente. Ela tem total controle de sua história, e é perceptível o quão profunda foi a sua pesquisa, principalmente para narrar os eventos da Idade Média. Os personagens, todos eles, têm seu lugar na história, mesmo aqueles com os quais não simpatizamos ou aqueles que aparecem esporadicamente na história. Tudo vai se conectando aos poucos, de forma que o leitor precisa estar muito atento, o que é fácil porque a história é ótima.

A autora consegue trazer ainda importantes reflexões sobre vida e morte, sobre se nós realmente não estamos na época em que deveríamos estar. Como os costumes de uma época podem interferir fortemente na vida das pessoas, com meninas jovens prometidas em casamentos a homens obscenos, com mulheres e homens e seus papéis bem definidos em determinado momento da história, com a religião e sua influência, independente do período em que se esteja. Algumas coisas mudam profundamente; outras mudam apenas a roupagem.

O livro termina com um gancho muito bom, e eu espero que os outros livros da série cheguem por aqui, e agradeço à editora Suma por ter cedido essa história espetacular.

[Resenha] A Cidade das Máscaras

10:03 0 Comments
Livro: A Cidade das Máscaras (A Biblioteca Invisível #2)
Autora: Genevieve Cogman
Editora: Morro Branco
Páginas: 400
🌟🌟🌟🌟
Sinopse: "Irene está trabalhando como espiã em uma Londres Vitoriana, coletando importantes livros de ficção para a misteriosa Biblioteca, quando Kai é sequestrado.
A origem enigmática de seu assistente significa que ele tem aliados e inimigos igualmente poderosos, e seu sequestro só pode significar uma coisa: guerra entre as forças da ordem e do caos, capaz de destruir mundos inteiros.
Para manter a humanidade longe do fogo cruzado – e salvar Kai de uma morte certa –, Irene terá que fazer aliados duvidosos e viajar até as profundezas de uma Veneza repleta de magia negra e estranhas coincidências, onde é sempre Carnaval. Lá, ela precisará lutar, mentir e chantagear seres poderosos. Ou enfrentar consequências fatais."